A genética bovina melhorará muito com as inovações tecnológicas que resultarão em avanços significativos no sistema de reprodução bovino como um todo. A Urus é a mais nova marca multinacional, oriunda da integração de operações da americana Cooperative Resources International (dona da Genex) e da holandesa Koepon Holding, detentora da marca global canadense Alta Genetics, e que irá comercializar 30 milhões de doses de sêmen por ano, porém mantendo separadas as operações da Alta Genetics e da Genex no Brasil.

A Koepon é uma empresa privada e a CRI é uma cooperativa de produtores, que será mantida como parte da entidade resultante da fusão. A nova organização será incorporada e sediada na cidade de Madison, no estado americano de Wisconsin. No Brasil, a Genex é sediada em São Carlos (SP), com filiais em Belo Horizonte (MG), Castro (PR), Goiânia (GO) e Porto Alegre (RS). A Alta Genetics está há 20 anos no país e tem sede em Uberaba (MG).

A intenção de integrar as marcas foi anunciada no final de 2017, mas só agora foi aprovada, após um processo formal de diligência (auditoria em práticas, fiscais, contábeis, financeiras e trabalhistas) e depois de ser votada pelos conselhos de administração de cada organização, bem como pelos delegados membros da cooperativa CRI.

Com a fusão, a Urus deve se tornar líder global em inseminação artificial de genética bovina e serviços relacionados. As empresas não falam em valores da transação e ressalvaram que no Brasil permanecerão com operações separadas, mantendo-se concorrentes. O mercado brasileiro de comercialização de sêmen bovino e serviços gira em torno de R$ 540 milhões por ano.

https://www.gazetadopovo.com.br/agronegocio/mercado/fusao-cria-maior-empresa-de-genetica-bovina-do-mundo-1wuur7u7mnx4hkhevssz5xhax/

Fonte: Internet

Embora a Urus seja um nome novo na indústria agrícola global, suas raízes são profundas. As empresas da família Urus têm um histórico de atendimento a produtores de leite e carne bovina em todo o mundo. Para Sergio Saud, diretor da Genex no Brasil, a formação da Urus possibilitará um aumento significativo nos investimentos, elevando a outro nível o uso da inseminação artificial e o melhoramento da genética bovina no Brasil. No entanto, reiterou que a Urus manterá as operações da Genex e da Alta Genetics Brasil como concorrentes no mercado, cada uma buscando oferecer da sua maneira as mais inovadoras e avançadas tecnologias do setor aos seus clientes.

Conforme afirma Heverardo Carvalho, presidente da Alta Genetics no Brasil, “Podemos esperar, num futuro próximo, um enorme avanço nas pesquisas em genética e nos serviços oferecidos aos produtores de leite e corte”.

 

 

(Fonte: Gazeta do povo)
Compartilhe esse post!