avicultura surgiu nos Estados Unidos, quando pequenos produtores se uniram para barganhar preço de insumos. Os avanços encontrados nos últimos 30 anos só foram possíveis com altos investimentos em tecnologia e, principalmente, com o melhoramento genético, fazendo com que a atividade chegasse ao patamar de uma das atividades mais competitiva do mundo.

A produção de frangos de corte em nosso país geralmente se dá através de integração entre as agroindústrias e os produtores. A agroindústria fica responsável por fornecer todos os meios de produção ao produtor (pintainhos e alimentação) e o produtor fica responsável por produzir (mão-de-obra, instalações…), porém, do crescimento do animal até a fase de abate para então entregá-lo a empresa com quem se firma o contrato, raramente encontra-se um produtor privado neste setor.

Entre produtores, funcionários de empresas e profissionais vinculados direta e indiretamente ao setor, a avicultura reúne mais de 3,5 milhões de trabalhadores. Cerca de 350 mil deles trabalham diretamente nas plantas frigoríficas. No campo, são mais de 130 mil famílias proprietárias de pequenos aviários, que produzem em um sistema totalmente integrado com as agroindústrias exportadoras.

avicultura

Fonte: Internet

Atualmente, mais de 150 mercados são importadores da avicultura do Brasil. Pelos portos do país, são quase 4 milhões de toneladas embarcadas anualmente, quase um terço de tudo o que se produz no país. Nas granjas brasileiras, a excelência tecnológica em genética, manejo e ambiência garantiram saltos produtivos que colocaram o país como terceiro maior produtor mundial de carne de frango, com mais de 12 milhões de toneladas anuais de carne de frango.

Todos esses significativos avanços na avicultura fizeram o Brasil ser o líder mundial em exportação, a carne de frango é o segundo produto do agronegócio. Ainda há muito a desenvolver nesta área, principalmente desenvolver o mercado interno e proporcionar maior subsídios para que os produtores possam aumentar ou mudar para o setor de aves. As previsões extraídas do último relatório da OCDE/FAO, sustentam que o Brasil vai alcançar 25% das exportações globais de carnes até 2025, na avicultura passará de 4,3 milhões de toneladas para 6 milhões até 2025.

 

(Fonte: Site ABPA)
Compartilhe esse post!